Análise


Bom dia, Inter! 07/02/2024

Foto Gabi

Gabriela Joubert

Publicado 07/fev

Bancos locais brilham e levam Ibovespa a 130 mil pontos novamente

A temporada de balanços aqui ganha força com os bancos impulsionando o Ibovespa e Bradesco roubando a cena. Hoje, o foco local fica na robusta agenda de indicadores, com Vendas ao Varejo, Balança Comercial e outros. Lá fora, mercados ficam de lado, no aguardo de mais sinais sobre o rumo dos juros norte-americanos e monitorando resultados corporativos.

Estados Unidos

Ontem, os juros das Treasuries tiveram leve recuo, enquanto investidores aguardam novos sinais do FED. As incertezas continuam sobre o início do corte nos juros, especialmente com Powell excluindo a possibilidade de corte em março, afirmando que o comitê precisa de sinais mais claros de que a inflação caminha para a meta. Ontem, chamou atenção a queda dos papeis dos bancos regionais, similar ao visto na crise bancária de março de 2023. Nesta manhã, futuros estavam de lado e os juros das Treasuries tinham leve avanço.

Mundo

Na China, as bolsas avançaram novamente com mais estímulos ao mercado de capitais, os quais incluem incentivo à recompra de ações e mudanças nas regras de venda a descoberto para os fundos de hedge. Nesta madrugada, o presidente Xi substituiu o presidente do órgão regulador do mercado de capitais, surpreendendo os investidores. O Nikkei ficou de lado, pressionado pelas fabricantes de chips, mas com perdas limitadas pela forte alta das automotivas, com destaque para Toyota e Mitsubishi. Na Europa, bolsas estão de lado, pressionadas pelos papeis de Saúde e Energia, apesar do alívio nos juros e ajuda de outros balanços corporativos. Dentre as 85 empresas do STOXX 600 que já divulgaram 55% superaram as expectativas. Produção Industrial na Alemanha veio abaixo do esperado e ajudou nos juros alemães.

Brasil

O Ibovespa encerrou em alta de 2,21% ontem, voltando ao patamar dos 130k, puxado pelos bancos, após resultados mais fortes que o esperado do Itaú. Bradesco foi a maior alta, com avanço de mais de 6%. Natura também subiu, com notícias de cisão da Avon. No campo macro, RCN mostrou uma visão mais positiva para a atividade no país e para a trajetória da inflação, apesar de seguir sinalizando cautela com relação à desancoragem das expectativas. . Hoje, mercado olha dados fiscais do setor público, balança comercial e vendas ao varejo.

Abertura

Na abertura, o índice DXY recuava, futuros em Wall Street operam de lado e os juros subiam levemente. Petróleo avança, com estoques mais baixos nos Estados Unidos. Minério de ferro avança com estímulos. Mercado de commodities se prepara para o início do Ano Novo Lunar na Ásia.

O que esperar?

A temporada de balanços pode seguir dando ímpeto à bolsa local, juntamente com a alta das commodities, apesar dos mercados externos sem apetite. Dados internos também podem sinalizar novos movimentos dos juros para o restante do ano.


Compartilhe essa notícia

Receba nossas análises por e-mail