Análise


Bom dia, Inter! – 09/07/24

Foto Gabi

Gabriela Joubert

Publicado 09/jul

Petrobras aumenta preço da gasolina e mercado monitora fala de Powell

Mercados lá fora amanhecem em leve alta hoje, seguindo o observado ontem. No radar dos investidores, o discurso de Powell e a provável sinalização de que o FED possa iniciar o ciclo de cortes ainda este ano. No Brasil, feriado bancário em São Paulo pode reduzir liquidez na Bolsa e investidor local olha Reforma Tributária no campo político.

Estados Unidos:
Nos Estados Unidos, as bolsas encerraram em alta ontem, com o S&P 500 batendo o 35º recorde do ano, beneficiado pelas empresas de quality e small caps desta vez, enquanto as Big Techs tiveram leve queda. Mercados ficam no aguardo do CPI na quinta e PPI na sexta, atentos aos dados de inflação, que devem mostrar a confirmação da tendência de queda, dando mais fôlego às apostas de cortes pelo FED até o fim do ano. Mas, antes disso, mercado foca no discurso de Powell hoje, que deve reforçar a preocupação com dados macro e o processo desinflacionário rumo à meta de 2%, além de opinar sobre os dados recentes do mercado de trabalho. Investidores também se preparam para a temporada de balanços do 2T24 que começa na sexta, com resultados dos grandes bancos. As expectativas para esta temporada estão em patamares bem acima da média histórica, impulsionados pelos resultados, principalmente, das empresas de tecnologia, com foco em AI.

Mundo:
Na Ásia, as bolsas tiveram dia positivo, majoritariamente. O Nikkei subiu quase 2% e investidores por lá monitoram evolução de salários e avaliam possibilidade de aumento nos juros japoneses pelo BoJ. Enquanto na China, os índices começaram o dia no vermelho, mas fecharam em alta com movimento de compra de small caps e semicondutores, seguindo o observado em Wall Street. Na Europa, as bolsas operam mistas nesta manhã, em dia sem grandes eventos catalisadores. No radar dos investidores locais, o resultado das eleições francesas e o impacto na governabilidade de Macron. Ainda, dados de varejo no Reino Unido mostraram forte queda no consumo devido ao clima mais frio e preços ainda elevados. Por fim, mercado monitora fala de dirigentes do BCE sobre a necessidade de desapegar da inflação de serviços e do aumento de salários e focar no processo desinflacionário como um todo, o que poderia dar espaço para novos cortes pela instituição ao longo deste ano.

Brasil:
O Ibovespa encerrou em alta de 0,22% ontem, com investidores reagindo ao anúncio de aumento de preços da gasolina feito pela Petrobras, o primeiro em 11 meses, reflexo do aumento do petróleo nos mercados internacionais. Já na ponta negativa, a Vale recuou, seguindo a queda do minério de ferro. Os bancos também pesaram negativamente no índice. No campo político, a Reforma Tributária continua sob discussão na Câmara, com tratativa do Imposto sobre Bens e Serviços. Hoje temos dados da Indústria e feriado da Revolução Constitucionalista em São Paulo.

Abertura:
Na abertura, o índice DXY tem leve alta, enquanto futuros em Wall Street sinalizam mais um dia positivo, seguindo o desempenho da véspera. Os juros das Treasuries ficam de lado, enquanto mercado monitora fala de Powell e aguarda dados de inflação na semana. As commodities estão em queda hoje, com petróleo recuando 0,4%, enquanto minério de ferro cede mais de 1%. Níquel e ouro avançam. Bitcoin também recupera e sobe 1,9%.

O que esperar?
Com feriado em São Paulo, podemos ter um dia de liquidez reduzida, enquanto o investidor local fica de olho em Brasília, com reforma tributária e negociação da dívida dos estados com a União. Commodities em baixa podem adicionar pressão nas exportadoras e um pouco de volatilidade ao índice.


Compartilhe essa notícia

Receba nossas análises por e-mail